Noticias

Tarcísio promete geração de empregos e 'cuidar das pessoas' como bandeiras de governo

Na apresentação, falou que pretende atual em dois pilares: geração de empregos e cuidar das pessoas

Escrito por ACISJC

25 JUL 2022 - 18H31

Tarcísio agradece Felicio e promete levar indústrias de volta para São Paulo (Vitor Fracchetta/OVALE)

O pré-candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), agradeceu ao ex-prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSD), por aceitar renunciar ao sonho de ser governador para ser vice na chapa dele.

A afirmação foi logo na abertura da primeira sabatina do evento ‘São Paulo em Debate', na manhã da última quinta-feira (21), em São José dos Campos.

O evento é organizado por OVALE, Band Vale e ACI (Associação Comercial Industrial).

“Quero cumprimentar o meu vice, Felicio Ramuth. É uma alegria de tê-lo do meu lado, um prefeito que se destacou muito, com soluções inovadoras, como no transporte público, que traz conhecimento, traz experiência e, no final das contas, traz segurança”, disse.

Depois, elogiou o ‘desprendimento’ de Felicio. “Vinha se preparando para este mesmo desafio e num gesto de grandeza resolveu caminhar ao meu lado e tenho grande gratidão por isso. E tenho certeza que juntos a gente vai construir um grande projeto para o estado de São Paulo”, disse.

Na sequência, falou que pretende atual em dois pilares: geração de empregos e cuidar das pessoas. “Basicamente, essa é a essência de todas as políticas que estão sendo desenhadas”, disse.

‘Perdemos negócio para o Nordeste, para Minas Gerais, para o Mato Grosso do Sul. No final das contas, o estado está se tornando mais desigual, muito em função da guerra fiscal”, afirmou Tarcísio.

TEMPOS DIFÍCEIS.

Ainda no discurso, Tarcísio, que foi ministro da Infraestrutura do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), destacou as dificuldades que o país e o mundo vêm passando. No entanto, usou a palavra ‘esperança’ para prever dias melhores.

‘É interessante a gente falar de esperança, pois, a gente vem de momentos difíceis. Não me lembro de ter enfrentado tantas crises ao mesmo tempo. Brumadinho, Covid, não sabíamos lidar com essa questão, a maior crise desde o pós-guerra, trouxe uma onda inflacionária inimaginável em 2019, enfrentamos a crise hídrica e, quando não faltava mais nada, ainda veio a guerra na Ucrânia”, disse.

Em seguida, falou sobre a importância das indústrias para o estado de São Paulo. “O mundo percebeu que a estratégia de colocar todos os ovos na mesma cesta estava equivocada. Ou seja, o mundo está totalmente desorganizado. E o Brasil está diante de uma tremenda oportunidade, que é de se reindustrializar”, afirmou.

“Tivemos aprovação de mercado pro-mercado, como a autonomia do Banco Central e o marco do saneamento. O desemprego caiu de 14% para 9% e o Brasil está sabendo lidar com a crise. O Brasil está vendo a inflação começar a ceder. O emprego está voltando e o Brasil está crescendo”, disse.

Fonte: OVale

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por ACISJC, em Noticias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.