Por ACISJC Em Noticias

RMVale aumenta dependência de óleo, avião e veículo na exportação

Petróleo, aviões e carros foram responsáveis por 76,54% do total exportado pelas empresas do Vale do Paraíba em janeiro e fevereiro deste ano, também recorde histórico, um montante de US$ 1,26 bi de um total de US$ 1,65 bilhões

O sucesso das exportações da RMVale está cada vez mais dependente de poucos produtos. No primeiro bimestre deste ano, 10 itens produzidos na região foram responsáveis por 96,39% do total vendido ao exterior.

É um recorde histórico.

Eles acumularam no bimestre US$ 1,59 bilhão de um total exportado de US$ 1,65 bilhão pela RMVale --diferença de US$ 59 milhões.

Trata-se do maior percentual de participação do 'Top 10' no total das exportações em toda a série histórica do Ministério da Economia, que começa no ano de 1997.

Durante janeiro deste ano, por exemplo, os 10 produtos mais vendidos representavam 96,11% do montante total.

Durante o primeiro bimestre do ano passado, o 'Top 10' significava 90,24% do total das exportações da região, representando um crescimento de 6,82% diante do percentual dos meses de janeiro e fevereiro deste ano (96,39%).

Naquele período, a região exportou US$ 1,45 bilhão e os 10 produtos venderam US$ 1,31 bilhão --diferença de US$ 141,8 milhões.

Neste ano, a lista do 'Top 10' é formada por petróleo, aviões, carros, celulose, reatores, produtos químicos, máquinas e aparelhos elétricos, alumínio, obras de ferro e aço e produtos farmacêuticos.

TRINCA.

Os dados do Ministério da Economia revelam que o comércio exterior da região é cada vez mais dependente de três produtos: petróleo, aviões e carros, cuja produção é monopolizada por cinco cidades: Ilhabela e São Sebastião (petróleo), São José dos Campos (aviões e carros) e Taubaté e Jacareí (carros).

Apenas o trio de produtos foi responsável por 76,54% do total exportado pelas empresas do Vale do Paraíba em janeiro e fevereiro deste ano, também recorde histórico, um montante de US$ 1,26 bilhão.

O percentual era de 61,96% há um ano (US$ 909,4 milhões), o que representa um crescimento de 23,53% para 2019.

Dos três produtos, petróleo foi o que mais cresceu na cesta de exportações da região, com um total de US$ 788,8 milhões neste primeiro bimestre ante US$ 526,4 milhões nos dois primeiros meses de 2018, alta de 49,86%.

Nesse período, a participação do petróleo no total das exportações saltou 32%, de 36,20% para 47,78%.

Matéria: OVALE

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por ACISJC, em Noticias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.