Noticias

Comércio puxa alta no emprego no Vale no segundo trimestre de 2021, aponta Seade

Setor cria 1.758 empregos em três meses e tem 1,4% de crescimento comparado a período anterior

Escrito por ACISJC

15 SET 2021 - 11H58

image

O comércio puxou a alta do emprego formal no Vale do Paraíba no segundo trimestre de 2021, de acordo com levantamento da Fundação Seade.

Clique e faça parte do nosso grupo no WhatsApp e receba matéria exclusivas. Fique bem informado! Acesse: https://bit.ly/ovale-agora-2

Com melhor desempenho entre os principais segmentos da economia, o comércio gerou 1.758 novos postos de trabalho em três meses e registrou aumento de 1,4% na comparação com o primeiro trimestre do ano. O saldo de vagas no setor passou de 122.949 no final de março para 124.707 em junho.

No geral, a criação de vagas entre os dois períodos teve um aumento baixo na região, de 0,8%, com 531.900 vagas contra 527.833 no trimestre anterior.

Depois do comércio, o setor que mais cresceu foi a construção civil, com 0,8% de aumento nos postos de trabalho gerados: 28.604 contra 28.372 no primeiro trimestre.

O segmento de serviços gerou 1.686 novos empregos, alta de 0,7% entre os dois trimestres: 256.144 a 254.458.

A indústria foi o setor que menos cresceu na região, aumentando em apenas 0,3% o número de novas vagas: 114.128 ante 113.762.

OCUPADOS

Estudo do Seade com base em dados da Pnad (Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios), do IBGE, mostra que a força de trabalho no estado de São Paulo foi estimada em 24,5 milhões de pessoas no segundo trimestre de 2021, com aumento de 2,2% em relação ao trimestre anterior.

O número de ocupados (20,9 milhões de pessoas) cresceu 2,3% (478 mil) entre os dois trimestres.

Segundo o Seade, houve aumento nos serviços (351 mil), no comércio (75 mil), nos serviços domésticos (70 mil) e na construção (60 mil), em contraposição ao decréscimo na indústria (-53 mil) e na agricultura (-44 mil).

Já no interior e litoral, o número de ocupados aumentou 1,7% (182 mil) entre os dois trimestres. Houve crescimento nos serviços (77 mil), na indústria (59 mil), na construção (49 mil) e no comércio (48 mil), com redução na agricultura (-59 mil).

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por ACISJC, em Noticias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.