Por ACISJC Em Noticias Atualizada em 21 JAN 2020 - 09H08

Preço do combustível sobe até 24% na região em um ano, aponta ANP

O preço médio do produto aumentou até 24% neste ano ante 2019, em postos do Vale. Na segunda semana de 2020, o litro do combustível custava, em média, R$ 3,784. Em janeiro de 2019, o valor era de R$ 3,061.

Fonte: OVALE

O diesel foi o combustível com a maior alta no Vale do Paraíba em um ano, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis).

O preço médio do produto aumentou até 24% neste ano ante 2019, em postos do Vale. Na segunda semana de 2020, o litro do combustível custava, em média, R$ 3,784. Em janeiro de 2019, o valor era de R$ 3,061.

O aumento foi registrado em Pindamonhangaba. Nas demais cidades pesquisadas pela ANP, o litro do diesel também subiu: Lorena e Cruzeiro (14%), Jacareí e São José dos Campos (13%), Taubaté (12%) e Guaratinguetá (10%).

A expectativa é que a pressão sobre o diesel se mantenha em 2020, o que pode provocar manifestações entre caminhoneiros, que repetiram, em 2019, ameaças de greve como a que paralisou o Brasil por duas semanas em maio de 2018.

O etanol hidratado foi o segundo combustível mais caro na região em 12 meses, com alta de até 15% nas bombas.

Segundo a ANP, mesmo com recorde de produção, o elevado consumo fez disparar o preço do etanol nos postos.

O preço médio do etanol estava em R$ 3,083 por litro na semana passada, em Lorena. No início de 2019, o preço era de R$ 2,683.

Também houve alta em Jacareí (14%), Ubatuba, São José dos Campos, Cruzeiro e Pindamonhangaba (12%), Taubaté (10%) e Guaratinguetá (7%).

O preço da gasolina subiu até 10% no Vale entre a segunda semana de 2020 e o início de 2019. O valor subiu de R$ 3,98 por litro para R$ 4,391, em Cruzeiro.

MUNICÍPIOS.

Em outras cidades do Vale, o preço da gasolina subiu menos: Taubaté, Pindamonhangaba e Lorena (8%), Ubatuba, São José e Jacareí (7%) e Guaratinguetá (6%).

Com o fim do subsídio ao preço do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) --o gás de cozinha--, o preço do botijão de 13 quilos, mais usado por residências, subiu até 5% em um ano, custando, em média, R$ 67, em Jacareí. No início de 2019, era vendido por R$ 63,79.

Houve ainda aumento do botijão em Caçapava (4%) e de 2% em Ubatuba, Taubaté e Pindamonhangaba.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por ACISJC, em Noticias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.